.comment-link {margin-left:.6em;}

Pecado da Preguiça

From the flats and the maisonettes they're reminding us there's things to be done. But you and me, all we want to be is lazy. --- pecadodapreguica(arroba)gmail.com

Sunday, June 04, 2006

Eu Acabei Por Ir

Há pouco fiz um teste para saber qual dos personagens dos Marretas é que sou e calhou-me, sem grande espanto, os velhotes resmungões do balcão. Isto porque eu tenho um defeito assumido: o de ter a mania de dizer mal das coisas das quais toda a gente gosta e com que eu implico mortalmente. Muitas vezes, sem conhecimento de causa. Digo mal do Código Da Vinci (sem nunca ter passado da página 27), achava os livros do Harry Potter uma parvoíce (apesar de depois ter ficado vergonhosamente viciada), deixei de comprar CDs de bandas que se tornaram moda (achando egoistamente que eles só tinham piada quando só eu é que os conhecia).
Faz este ano uma década que comecei a ir a concertos. Já comi muito pó, já levei (alguma) porrada no mosh, já passei horas intermináveis em pé, já acampei em condições piores do que campos de refugiados, já fiz quilómetros de norte a sul para ficar com os ouvidos dormentes de tanta pancada de amplificador. Tenho a mania parva de que sou pró do ritual dos concertos e festivais.
Estes dois factores juntos resultaram numa tendência para cortar na casaca do Rock In Rio, seja pela onda de unanimidade, seja pelo facto de arrastar multidões que nunca viram um concerto sem ser na festa de Natal da escola/empresa/fábrica/condomínio/santa-padroeira-lá-da-freguesia (riscar o que não interessa). Já tinha ido em 2004, já conhecia a Cidade do Rock e já tinha lá assistido a grandes espectáculos. Mas mesmo assim gostava de mandar a minha posta de pescada: o Rock In Rio era uma daquelas pastilhas de morango rosa-choque demasiado doces e de sabor passageiro, enquanto os festivais “a sério” (seja lá isso o que for) são uma daquelas pastilhas de mentol extra-fortes que nos fazem ficar com a sensação de que levámos com uma bola de basket no nariz. E isso sim, é um Concerto. Não é cá para meninos.
Ontem fui ao Rock In Rio. Tenho de dar o braço a torcer: não me lembro de qual foi a última vez em que me diverti tanto num festival. Só me apercebi no estado de Nestum em que estavam os meus pobres pés às cinco da matina, depois de ter visto os brutais 2 Many DJs e de ter se ser corrida do recinto porque aquela malta queria ir dormir. O espaço está perfeito, o concerto dos Red Hot Chilli Peppers foi fantástico, os Da Weasel vão ter para sempre o meu respeito e os Kasabian fizeram-me ir à FNAC comprar o disco. O público, o tal que eu critico pelo estado de histeria foleira, foi dos melhores que alguma vez apanhei. Dei por mim a pensar que o público dos outros festivais é que está mais cínico e desinteressado (não é só das bandas a culpa do SBSR estar a ser morninho).
Marketing? Claro que sim. Desconfiança face aos brasileiros? Sou forçada a admitir aqui a minha dose qb de maldade para com eles (que uma viagem ao Brasil não amansou). Dinheiro? Muito. Moda? Bem sei. Mas porra, os gajos sabem fazer um festival como ninguém. Daqui a dois anos lá estarei, com os pré-adolescentes e as donas-de-casa. E agora com licença que vou ali ler o Código Da Vinci e ver o que está um primeiro lugar no top de CDs da Fnac.

2 Comments:

Blogger Tino_de_Rans said...

Sim, eu também sou uma voz critica do Rock in Rio, fui há dois anos, adorei, a noite foi excelente, Metallica foi até agora o melhor concerto que vi (e já vi alguns bem interessantes), mas este ano o cartaz do Rock in Rio foi uma desilusão, era realmente o Festival para quem nunca foi a festivais. Era o festival para os "cotas" levarem as "pitas" verem Dzrt. Parece que foi uma aposta ganha, é fácil fazer as contas, pai, mãe, filha, e por vezes o irmão de berço que não tem onde ficar, que os avós estão longe. Assim é facil encher o recinto, e conta-me quem foi que foi isto realmente o que aconteceu no dia de Dzrt. Eu axo que com o orçamento do Rock in Rio podia ser bem mais abrangente e muito melhor. pra mim só houve 3 nomes interessante, mas nenhum me levava a pagar o bilhete, são eles o regresso dos Guns, o sempre fantástico espectáculo de Jamiroquai, goste-se ou não da música, o espectáculo é muito bom, e os Red Hot, que parece que foram o melhor concerto deste ano. Esperava muito mais, por isso este ano preferi ser picado por mosquitos no SBSR.

12:06 am  
Blogger Vitor said...

Concordo com o Tino.

Não vou dizer que Metallica foi o melhor concerto que já vi porque, de facto, foi o primeiro. E aliás não preciso de o dizer. Sou Metalhead fanático desde os meus tenros 16 aninhos depois de muito ano a achar que Rádio Cidade é que era (pelo menos vi a luz!).

Para mim o Rock In Rio já perdeu há muito a mística de festival "Por Um Mundo Melhor" e passou a ser Por Uma Carteira Do Roberto Medina Mais Recheadinha Fáxavore".

Acho que o cartaz deste ano é bem prova disso. Nunca vi cartaz tão fraquinho. E de Rock o Rock In Rio teve muito pouco (apesar de bom).

Isto, claro, na opinião de quem não esteve lá e está agora a começar a ir a concertos... Vergonhoso, eu sei...

7:45 pm  

Post a Comment

Links to this post:

Create a Link

<< Home