.comment-link {margin-left:.6em;}

Pecado da Preguiça

From the flats and the maisonettes they're reminding us there's things to be done. But you and me, all we want to be is lazy. --- pecadodapreguica(arroba)gmail.com

Monday, November 26, 2007

Santiago, Chile – 7 de Novembro


O amor em forma de casa. Uma casa feita de amor. É assim que penso na Chascona (A Despenteada) – a casa de Pablo Neruda em Santiago do Chile. Aterrei há duas horas mas já estou a caminho do Bairro da Belavista. A Chascona é a casa que Pablo Neruda construiu para Matilde, amada, amante numero três. Foi a última musa do poeta. A pequena casa inspirada nos barcos que levaram Neruda a outros mundos é a primeira grande emoção da viagem. Tão pequena e tão cheia de histórias para contar, histórias de amor escondido, amor às claras, amizade, guerra e morte. Em tempos, os Andes serviram-lhe de moldura. Os desígnios da civilização criaram o smog, a poluição e o barulho. Depois de tanto amor edificado, desço pelo bairro boémio da Bellavista. A colorida e divertida Bellavista que combina com o Neruda excêntrico e sempre animado. A cada porta, um bar ou um restaurante onde apetece sentar e ficar debaixo do abraço de San Cristobal bem no alto do monte da cidade.

“Te recuerdo como eras en el ultimo outono. Eras la boina gris y el corazon en calma. En tu ojos peleaban las llamas dês crepúsculo y las hojas caían en el água de tu alma”.

(lido num livro de rascunhos de Pablo Neruda na Chascona; na imagem, as cadeiras onde Neruda e Matilde se sentavam no pátio)

1 Comments:

Blogger Teresa said...

Bonito :)

11:11 pm  

Post a Comment

Links to this post:

Create a Link

<< Home